5 dicas de ergonomia no ambiente de trabalho

Vamos combinar: embora existam muitas outras formas de trabalho bem mais perigosas ou insalubres, trabalhar 8h por dia na frente de um computador, dentro de um escritório, não é tão confortável quanto pode parecer. 

Para que essa atividade seja feita da forma mais segura possível, é preciso que as empresas se atentem a algumas recomendações e exemplos de ergonomia no ambiente de trabalho. Neste texto, vamos falar um pouco sobre o assunto e dar cinco dicas, siga na leitura!

Afinal: o que é ergonomia? 

Segundo o dicionário da Oxford Languages, ergonomia é o estudo científico das relações entre homem e máquina, visando maior segurança nessas interações e a otimização das condições de trabalho. Isso quer dizer que os estudos ergonômicos buscam oferecer o conforto adequado ao profissional, evitando acidentes e problemas de saúde advindos da rotina laboral.

As recomendações ergonômicas de trabalho consideram desde a posição em que a pessoa fica para operar a máquina até níveis de iluminação, ruído e temperatura do ambiente, já que tudo isso pode afetar o bem-estar e a saúde do trabalhador.

Ergonomia no trabalho: pontos de atenção

Os níveis de iluminação, temperatura e ruído também precisam ser levados em conta nos estudos de ergonomia.

A ergonomia segundo a lei trabalhista

As questões ergonômicas na rotina de trabalho são tão importantes que estão previstas em lei. Existe uma Norma Regulamentadora do Ministério do Trabalho e Previdência Social, a NR-17, também conhecida popularmente como lei da ergonomia, que dispõe, justamente, de exigências e padrões ergonômicos que precisam ser cumpridos no ambiente de trabalho.

A norma estabelece parâmetros para que as condições do ambiente se adequem às características psicofisiológicas dos trabalhadores, proporcionando conforto, segurança e o consequente melhor desempenho no trabalho. 

A legislação trabalhista também determina que é dever dos empregadores disponibilizar os meios ideais para que os funcionários cumpram suas funções, inclusive em casos de home office. 

Dicas de ergonomia no ambiente de trabalho

Para que sua empresa esteja em dia com as recomendações ergonômicas e garanta o bem-estar no trabalho, confira algumas dicas!

1. Posição do monitor

Segundo as recomendações de biossegurança da Fiocruz, o monitor deve estar posicionado entre 45 cm e 70 cm de distância do usuário, formando com ele um ângulo entre 10° a 20°. Em relação à altura, ele precisa estar ligeiramente abaixo da altura dos olhos, em torno de 15° a 20°, para evitar a tensão no pescoço, ocasionada por olhar muito para baixo ou muito para cima.

Posição correta para utilizar o computador

Ergonomia no escritório: a posição correta do usuário em frente ao monitor pode evitar inúmeros problemas posturais.

2. Controle de ruídos

É claro que os casos em que deve haver mais atenção ao controle de ruídos no trabalho envolvem as indústrias com grandes maquinários e postos em pistas de aeroportos, por exemplo — o que não quer dizer que esse ponto não possa, também, ser observado nos escritórios para melhorar o conforto dos profissionais.

Ruídos altos e constantes atrapalham a produtividade dos colaboradores, dificultam a concentração e a comunicação e, ainda, em casos extraordinários, podem vir a encobrir um alarme de incêndio, por exemplo, o que pode ocasionar acidentes.

Para ajudar na diminuição de ruídos excessivos no escritório, planeje bem a localização das estações de trabalho, evitando posicionar colaboradores em cargos que demandem muita atividade mental ao lado de salas de reuniões ou de equipes que precisem se comunicar mais ao longo da jornada. 

Se o escritório tiver espaço mais limitado, cogite a possibilidade de adequá-lo com teto e paredes acústicas, principalmente nas salas de reunião, para que o ruído vaze o mínimo possível, e não incomode os que precisam se concentrar em outras demandas. 

Se houverem máquinas dentro do escritório, faça o possível para deixá-las mais isoladas e afastadas dos postos de trabalho, bem como garanta que a manutenção esteja em dia para que não façam mais barulho do que o esperado.

3. Iluminação confortável

A iluminação adequada é um fator que faz toda a diferença nas condições de ergonomia no trabalho. É fácil imaginar o desconforto que é trabalhar em um lugar escuro, mas um ambiente com luz demais pode ser igualmente incômodo.

Como recomendações gerais da NR-17, deve haver nível de iluminação natural ou artificial apropriado ao tipo de atividade exercida no ambiente. Ela deve ser uniformemente distribuída pelo espaço, sem que falte luz ou haja um foco específico sobre um ou mais trabalhadores a ponto de incomodá-los.

Ela deve ser posicionada, também, de forma a evitar ofuscamentos, reflexos, sombras e contrastes excessivos. Todas essas recomendações visam evitar o cansaço visual e, a longo prazo, demais problemas de saúde ocular que possam ser causados pelo esforço em demasia. 

Ergonomia no ambiente de trabalho: iluminação também importa

Escritórios mal iluminados podem causar cansaço visual aos colaboradores.

4. Cadeiras de escritório adequadas

As cadeiras ergonomicamente recomendadas para quem trabalha o dia inteiro sentado devem permitir que os joelhos formem um ângulo de 90° com a cintura, enquanto os pés se mantêm inteiramente apoiados no chão. 

Elas devem ter braços, para que os antebraços do usuário consigam ficar apoiados de forma confortável, facilitando a utilização do computador e a digitação com o mínimo de tensionamento nos punhos. Para que se adequem à estatura de diferentes indivíduos, é importante que possuam regulagem de altura, tanto do assento quanto dos braços.

5. Mesas adequadas

Existe uma altura da mesa de trabalho considerada ergonomicamente ideal para a jornada no escritório. Segundo a NR-17, as dimensões do móvel devem proporcionar condições de boa postura para o usuário e permitir a movimentação adequada. 

Para o cálculo dessas dimensões ideais, foram levadas em consideração as alturas médias da população brasileira, sendo elas de 1,60 m para mulheres e 1,73 m para os homens. Sendo assim, para que a mesa permita uma boa postura do trabalhador e ele consiga utilizá-la mantendo a coluna ereta, os joelhos em 90° e os pés apoiados inteiramente no chão, ela precisa ter 65 cm de altura no caso das mulheres e 70 cm para os homens

São muitas regrinhas a serem seguidas, não é mesmo? Mas elas são importantes por fazerem toda a diferença na qualidade de vida dos colaboradores e, consequentemente, no bem-estar coletivo da empresa. 

Se você quer estar em dia com as recomendações ergonômicas para os móveis da sua empresa e, ainda assim, reduzir custos com a compra destes bens, que tal a ideia de uma assinatura de móveis? 

Pioneira brasileira no setor, a Riccó lançou um sistema de móveis por assinatura para empresas. Especialista em móveis para escritório há mais de 145 anos de história, possui planos para diversos tipos e tamanhos de empreendimentos. 

Com a assinatura de móveis você escolhe não somente o seu mobiliário, mas o plano que mais se adequa a cada momento da sua empresa e também recebe todo o acompanhamento de transporte, montagem, desmontagem e eventuais manutenções. Procurando aluguel de móveis em São Paulo? Conheça nossas opções clicando no banner!

Riccó © 2021

Envie sua mensagem!