Como se desfazer de móveis usados? Confira dicas!

Quem nunca mudou de imóvel ou resolveu dar uma repaginada no ambiente e precisou descartar uma peça de mobiliário, não é mesmo? Em momentos como esses, é comum que as pessoas fiquem em dúvida de como se desfazer de móveis usados, uma preocupação bastante pertinente, pois o descarte irregular de resíduos gera inúmeros problemas ambientais. 

Neste texto, vamos conversar um pouco sobre o assunto, dar dicas de como descartar ou até reaproveitar seus móveis antigos e apresentar uma forma mais sustentável de lidar com o mobiliário. Siga na leitura!

Sustentabilidade e o problema do descarte

Estamos tão acostumados a utilizar o termo “jogar fora” que, por muitas vezes, esquecemos de que na verdade não existe o “fora”. Tudo o que é descartado continua existindo no planeta e precisa ser administrado de forma a impactar o mínimo possível a natureza, já tão desgastada.

Segundo o Programa da ONU para o meio ambiente, até 2025 a população mundial terá passado a produzir 2,2 bilhões de toneladas de lixo por ano. É necessário, cada vez mais, criar e seguir políticas estruturadas de descarte de resíduos, para que os efeitos sejam controlados.

Mão colocando garrafa na reciclagem

É urgente a criação e a manutenção de medidas que regulem o descarte de lixo.

Os protocolos de descarte, coleta e reciclagem do lixo comum já são mais difundidos no dia a dia, enquanto o que deve ser feito com outras formas de resíduos, como os químicos e os entulhos maiores, ainda gera muitas dúvidas. 

Antes de descobrir como descartar, no entanto, é possível pensar em maneiras de reaproveitar. A reciclagem e o reaproveitamento de materiais, além de diminuir o problema do lixo, reduz a exploração de recursos do meio ambiente que são utilizados para a produção de algo do zero. 

Atualmente, espera-se cada vez mais das empresas que elas atuem com responsabilidade ambiental. Diversas atitudes podem ser tomadas para melhorar as práticas de sustentabilidade dentro da corporação, entre elas as relacionadas aos descartes de materiais. 

Em 2020, por conta da pandemia da Covid-19, os escritórios precisaram se reinventar e adotar distanciamento social e modelos híbridos de trabalho. Essas mudanças exigiram a readequação do espaço físico e, em muitos casos, o desprezo de alguns dos móveis para liberar mais espaço. 

O reaproveitamento de móveis é uma ótima alternativa para se cogitar antes de descartá-los. No tópico seguinte você confere algumas ideias!

Dicas de como reaproveitar um móvel

Se a sua empresa migrou para o formato de trabalho remoto, os funcionários precisaram se adaptar ao home office, não é mesmo? Será que todos tinham estrutura de mobiliário para realizar o trabalho de suas casas? Cadeiras inapropriadas e mesas na altura errada estão no topo das listas de riscos ergonômicos do escritório, e a necessidade brusca da mudança nos modelos de trabalho potencializou problemas como esses.

Faz sentido que os colaboradores de uma empresa estejam mal acomodados trabalhando em suas casas enquanto suas mesas e cadeiras estão paradas sem utilização dentro do escritório? Foi pensando nisso que muitos dos gestores ofereceram aos funcionários que, dentro das possibilidades de espaço e deslocamento, levassem para casa suas cadeiras e mesas. 

No momento do retorno ao escritório, a readaptação dos móveis se torna ainda mais crucial, já que o distanciamento social deve ser mantido e os espaços destinados a deslocamento precisam ser mais amplos para garantir que as pessoas não se aglomerem enquanto estiverem em trânsito pelo ambiente. 

Escritório com plantas e pessoas em movimento

Os espaços de deslocamento do escritório precisaram ser repensados e ampliados.

Se a sua empresa tiver optado, como muitas, por permanecer em modelo de trabalho híbrido mesmo depois da pandemia, faz ainda mais sentido pensar em como reaproveitar os móveis, já que muitos se tornarão desnecessários. Além da redistribuição das peças entre os colaboradores que montaram o escritório em casa, é possível pensar em restaurá-los para utilizá-los de outras maneiras.

Técnicas de pintura, pátina e estêncil são maneiras não muito complicadas de alterar drasticamente a aparência de um móvel, dando uma nova cara ao ambiente. Caso aquele armário que não será mais usado no escritório possa servir com outros objetivos, é possível transformá-lo completamente.

Mulher branca pintando estante

A pintura é uma ótima ideia de reciclagem de móveis, dando uma nova cara a eles e ao ambiente!

Como descartar um móvel velho

Se a redistribuição interna ou o reaproveitamento do móvel não são possibilidades, pode fazer sentido doá-lo, tanto para associações de caridade e órgãos não governamentais como para empresas privadas que estejam aceitando mobiliário. 

Asilos, orfanatos, creches e escolas públicas costumam se beneficiar muito da doação de móveis de escritório, bem como startups e pequenas empresas que ainda estejam montando seus ambientes de trabalho. 

Para doar de forma direta, em geral, basta entrar em contato com os responsáveis pela instituição ou empresa para descobrir se existe interesse e combinar a coleta ou a entrega. Em geral, quem recebe a doação se responsabiliza por buscá-la.

É possível também entrar em contato com órgãos públicos que possuem serviços relativos ao descarte de entulhos e móveis. Em São Paulo, por exemplo, existe o programa Cata-bagulho, que atua regionalmente, de forma gratuita, coletando móveis, eletrodomésticos e entulhos para que não sejam descartados em via pública — o que, na cidade, é considerado crime ambiental previsto pelo artigo 185 da Lei de Limpeza Urbana nº 13.478/02.

Cidade de São Paulo em foto panorâmica

Para realizar o descarte de móveis usados em SP entre em contato com o programa Cata-bagulho!

Também é possível pesquisar se na sua cidade existem empresas privadas ou organizações não governamentais que recolhem móveis e os descartam corretamente. Além disso, existe o site E-cycle, no qual é possível consultar o lugar mais próximo para você se desfazer de diversos tipos de materiais, incluindo móveis.

Agora, se você não quer mais passar por esse tipo de situação e não se preocupar nunca mais com onde descartar móveis usados, a tendência do móvel por assinatura (mobiliário como serviço) é a opção ideal!

Conheça a tendência de mobiliário como serviço

A tendência As a service significa, em português, “como serviço”, e vem crescendo cada vez mais, em resposta a uma busca das novas gerações por uma mudança drástica de comportamento de consumo.

O modelo as-a-service permite que as pessoas possam usufruir dos benefícios de um produto sem o investimento pela posse do objeto, ou seja, através de assinatura pagando pelo tempo de uso ao invés de pagar pela propriedade. No mundo corporativo, a tendência faz ainda mais sentido, visto que com os novos formatos de trabalho e a busca por propósito e sustentabilidade, o escritório se torna, cada vez mais, um ambiente vivo e em constante transformação. 

A quantidade de mesas e cadeiras que é necessária para a sua empresa hoje pode ser completamente diferente daqui a poucos meses. Contratar um plano de assinatura de móveis e ter a liberdade de alterá-lo de acordo com essas necessidades faz muito mais sentido do que adquirir móveis e precisar guardá-los ou descartá-los um tempo depois, não é mesmo?

Pioneira brasileira no setor, a Hub Móveis lançou um sistema de móveis por assinatura para empresas. Essa é uma solução econômica e sustentável para ambientes corporativos, entregando um design inteligente desenvolvido a partir de novas ideias, materiais de qualidade, ótimos acabamentos e muita flexibilidade!

Com uma assinatura de móveis Hub você escolhe não somente os seus móveis, mas o plano que mais se adequa a cada momento da sua empresa e também recebe todo o acompanhamento de transporte, montagem, desmontagem e eventuais manutenções. Procurando aluguel de móveis em São Paulo? Conheça nossas opções clicando no banner!

Conteúdo Relacionado

Riccó © 2021

Envie sua mensagem!